Home Atas Ata
Câmara Arcoverde 19/06/2018

ATA DA 19ª (DÉCIMA NONA) SESSÃO ORDINÁRIA DO 1º (PRIMEIRO) PERÍODO LEGISLATIVO, EM 19 (DEZENOVE) DE JUNHO DE 2018 (DOIS MIL E DEZOITO).

Aos dezenove dias do mês de junho do ano dois mil e dezoito, às dezenove horas e trinta minutos, na Câmara de Vereadores, estiveram presentes para a décima nona sessão ordinária do primeiro período legislativo, os (as) seguintes vereadores (as): Cleriane Alves, Cybele Cavalcante, Everaldo Lira, Geraldo Vaz, João Batista, João Heriberto, Luíza Margarida, Wevertton de Siqueira e Zirleide Monteiro, sob a Presidência da vereadora Célia Almeida. A sessão foi declarada aberta com as palavras da Presidente saudando a todos. Informou o motivo desta sessão que é para compensar a que não houve devido a paralisação dos caminhoneiros. Informou que deferiu ofício solicitado por Adriana Alves Feitosa para fazer uso da Tribuna Popular. Lida, foi aprovada a ata da sessão anterior em Primeira e Segunda votação. De imediato, foi passada a palavra ao Primeiro Secretário para a leitura do Expediente, constou de: Ofícios/n/2018, de Adriana Alves Feitosa, que solicitou o uso da Tribuna Popular para expor o fato de descaso no atendimento da paciente Evellin da Silva Feitosa no Hospital Regional de Arcoverde, aonde a mesma veio a falecer. Em seguida, a Presidente consultou o Plenário sobre o uso ou não do Pequeno e Grande Expediente e o Plenário decidiu que ouviria Adriana Feitosa na Tribuna Popular, pela importância do assunto. De imediato, solicitou a Wevertton para dar acesso à Tribuna, a senhora Adriana. Agradeceu a Célia pelo deferimento do ofício e disse que a sobrinha dela, Evellin compareceu no Hospital Regional de Arcoverde no dia quatro de junho com dores no abdômen e febre. Foi medicada e liberada. Esteve também na U.P.A.(Unidade de Pronto Atendimento) no dia oito, foi medicada e liberada. Voltou ao hospital dia onze, às onze horas, muito debilitada e na triagem colocaram a pulseira verde, que significa que o paciente não corre risco de morte. Falou das dificuldades em agilizar exames e como percebeu a situação grave de Evellin, solicitou a transferência dela para outra cidade e foi negada. O hospital foi negligente e Evellin veio à óbito as quinze horas, sentada numa cadeira, no setor de emergência. “Minha sobrinha pedia socorro com os olhos”, disse Adriana. Encaminhada ao S.V.O. DE Caruaru, foi detectada causa mortis como sendo “hemorragia intracraniana e defeito de coagulação”Pediu aos vereadores que não deixe que isso aconteça novamente. Disse que no Hospital Regional há bons profissionais e alguns se prontificaram em atender Evellin, mas, o descaso é grande. Em seguida, foi debatido o assunto entre os vereadores que lamentaram a morte de Evellin e decidiram formar uma comissão de vereadores para se reunir com a direção da O.S. Organização Social) do Hospital Regional para obter informações sobre a morte de Evellin. Célia sugeriu que família de Evellin faça a denúncia ao Ministério Público para apurar as responsabilidades da morte de Evellin por negligência Disse que o Hospital foi passado para uma O.E.S, que tem uma receita alta e não estão investindo na súde das pessoas.Célia leu uma carta de retratação do Presidente do SINTEMA, Damião Lucena que se retratou ao advogado Pedro Melchior, pelo pronunciamento feito na reunião do dia 13 de junho de 2018. Zirleide sugeriu a Prefeita que peça ao Governador que pague os subsídios atrasados e que melhore o atendimento no Hospital Regional. Não havendo mais nenhum (a) vereador (a) a fazer uso da palavra, a senhora Presidente deu por encerrada a sessão, agradecendo a presença de todos e convidando-os para próxima sessão no dia 25 (vinte e cinco) de junho, às 19h30. Nada mais a ser deliberado na Ordem do Dia eu, Maria Mônica Côrte-Real Ribeiro, secretária Ad-hoc para esta sessão, redigi e digitei a presente ata a qual será transcrita por Maria de Fátima Elizeu Lima.