Home Notícias Notícia
img
Câmara Arcoverde
24/09/2019 13:25

Vereadora Cybele lembrou que setembro é o mês amarelo, que visa conscientizar e prevenir o suicídio

CYBELE GOMES CAVALCANTI BRITTO solicitou à Prefeita ações para educação e prevenção de casos de Leishmaniose em humanos e animais, com diagnóstico laboratorial em cães suspeitos; retirada de entulhos e metralhas nas ruas Joaquim de Brito, Alto Cardeal e rua Argemiro Santana, São Miguel; substituição de lâmpadas nos postes G004114, G00417 e G 004118 na rua Otaviano Neves, postes G008422, G008427 e G008428 na rua Antonino Araújo (ambas as ruas no São Cristóvão), postes G007436 rua Davi Liberalino de Souza, poste G005987 na rua Joaquim Bezerra, Alto Cardeal. 2 – Ao Diretor Presidente do ITERPE (Instituto de Terras e Reforma Agrária do estado de Pernambuco) a pedido da Associação Sítio Fazenda Santa Rita para a viabilização dos documentos de legalização das terras locais, a demanda existe há mais de 40 anos. Os vereadores se associaram a todos os requerimentos.

Célia informou que a Câmara tem recursos para que os vereadores possam ir a Recife buscar soluções para os problemas dos Arcoverdenses e para se especializarem, ao que a vereadora Zirleide disse que precisará destes recursos para participar de cursos de especialização no Tribunal de Contas com intuito de exercer a fiscalização ao governo de forma mais eficiente. Pediu informações sobre documento que regulamenta o lançamento do loteamento veraneio, sobre o custo unitário de cada rampa do município. Lembrou também sobre o projeto de lei sobre visão monocular, falou que já recebeu parecer jurídico sobre o projeto. Célia Almeida informou que ainda não foi recebida nenhuma resposta sobre o loteamento veraneio; quanto as rampas disse que recebeu resposta por e-mail e que irá repassar a vereadora Cybele e; quanto ao projeto de lei de nº 18/2018 afirmou que, como fora apresentado no ano anterior ao corrente, o projeto deverá ser reapresentado.

Lembrou que setembro é o mês amarelo, sendo o dia 10 a data mundial desta campanha, que visa conscientizar e prevenir o suicídio. Recordou que a campanha foi criada no Brasil em 2015 pelo CVV (Centro de valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria). Informou que no Brasil são cerca de 12 mil suicídios por ano e no mundo por volta de 1 milhão, onde as principais vítimas são, em sua maioria, os jovens. Apontou que as principais causas são a depressão, transtorno bipolar e abuso de substâncias. Citou um dado da OMS (Organização Mundial de Saúde) aponta se consta que 9 entre 10 casos de suicídio poderiam ser evitados. Pediu ao município que coloque em locais diversos algum cartaz com o número 188, que é um serviço de aconselhamento telefônico para aqueles que estão pensando em cometer o suicídio.

Ao mudar de assunto comentou sobre a doença da Leishmaniose, doença provocada por Protozoário, que tem como início de ciclo quando um mosquito fêmea de flebótomo – conhecido como mosquito-palha - está infectado pelo protozoário ferroa algum animal, sendo mais comum os cachorros. Informou que a doença se manifesta de três maneiras: Cultânea, muco-cultânea e viceral, esta última pode ser letal caso não tratada. O diagnóstico se dá por exame clínico e o tratamento por medicamentos.